domingo, 28 de fevereiro de 2016

Me.

Faz tempo que não escrevo aqui, há anos na verdade, eu era eu na época em que eu escrevia e tudo se perdeu, tudo se desvaneceu, eu me tornei uma pessoa no automático, sem tempo de olhar as próprias pernas, sem tempo de se olhar com atenção no espelho e ver as falhas, grandes defeitos que estavam tomando posse de minha personalidade, me tornando uma pessoa indesejável até mesmo por mim, e agora estou de volta, chega de ser uma Katherine sem persona, serei eu de novo, uma menina moleca, mãe de um moleque lindo e esperto e inteligente e cheio de vida.. preciso tirar essa cola dele, como em uma prova, preciso tomar conta da minha vida de novo e ser como ele, como eu...

Estou m sentindo sozinha e só agora me sentindo e estando de fato sozinha é que começo a me ver, na integra em apenas uma noite e um dia começo a ver quem sou no momento e no suposto monstro que me tornei. A vida é isso será? ser monstro? quer dizer ir se tornando por pequenos pedaços de egoísmo?

Por hoje é so.. depois eu continuo.

domingo, 11 de novembro de 2012

O melhor dia de todos...

Ainda era bem cedinho, um pouco depois das seis, meus olhos se abriram, a cortina se mexia devagar com o ventinho que vinha do pequeno espaço aberto da janela, a luz da manhã fazendo sombras com a cortina me encantou, permaneci por mais um tempo a olhar tudo isso, era Sábado. Minha mãe veio e se sentou ao meu lado, estava com um copo de vitamina de mamão ao leite, do jeito que eu sempre gostei, ela me deu beijinhos, cheirou meu cabelinho,disse que aquele dia seria bem legal, que eu ia gostar muito...

Levantei, ela me colocou uma roupinha, fui ver um pouco de TV, depois que a programação acabou, fui brincar na varanda com meus brinquedinhos em miniatura, meu amiguinho chegou, ficamos brincando de pique esconde e depois ele se foi...

Depois de um tempinho,minha mãe começou a me arrumar, pôs meia calça branca,uma sainha jeans,uma blusinha branca de manga fofa, meus cabelos longos e molhados estavam enroladinhos, ela estava linda!!!Muito linda, com os olhinhos me olhando cheio de ternura e amor...

Meu pai já estava pronto, tudo aconteceu rápido, eu nem havia percebido tanta coisa acontecendo, eu estava perdida em devaneios possíveis, tais como: Onde vamos? Por que ela não me falou nada?

Enfim, fomos, pegamos um ônibus e chegamos em uma festa muito legal!!!cheia de gente...de crianças.. cai no mundo.. sai correndo, era aniversário de uma coleguinha da minha turma, tinha tanto brinquedo, comida, refrigerante, gente fazendo brincadeira com a gente, meus pais namorando na mesa, eu sempre ia á pegar uma bala que tinha numa cestinha no centro da mesa.

Eles estavam sempre por perto, visíveis...

E então chegou a hora de ir embora,pegamos um táxi, pois não tinha mais ônibus...eu dormi no colo da minha mãe,mas quando eu abri os olhos na cama quem tinha me colocado lá tinha sido o meu pai... Minha mãe foi e me trocou, e ai eu pedi pra ela repetir tudo no dia seguinte. Ela sorriu e falou que ia tentar.

Amanheceu e tudo parecia se repetir, a cortina balançando, ela se aproximando com a vitamina de mamão, me trocou, ajeitou meus cabelos e eu perguntei, por que ela não tinha me contado sobre a festa, ela me disse sorrindo: _ Você é ansiosa demais, ia ficar me perguntando toda hora se já estava na hora, não ia comer, não ia ficar quieta,não ia se divertir, foi melhor do jeito que foi né?

Eu concordei com a cabeça. Mas este mal me acompanha até hoje, essa ansiosidade é terrível,faz mal...Mas a cura está em mim mesma, um médico disse.

Um dia eu vou encontrar a calma para esperar as coisas acontecerem.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

TRisteza

Depois que me foi dito, começou a ecoar na minha mente a palavra BURRA, não que eu esteja chorosa, ou que eu tenha ficado magoada, apenas fiquei ressentida,me deixou triste.

Não estou em um relacionamento para ser ofendida quase o tempo todo, na hora de elogios, estes não acontecem,só acontecem dedos, dedos que apontam meus defeitos.

Eu não elogio esperando um retorno, não é isso, mas já que não vem elogio, porque um número maior de ofensas?
por que não mudar a forma como se fala? Se houver uma próxima vez, (algo que eu não quero)vou preferir findar, pois se algo me faz mal eu prefiro ficar bem.Corto logo.
Estou neste caminho para trilhar as opções que me surgem, iremos fazer 6 meses, eu o conheço um pouco, ele diz que me conhece, mas acho que é muito pouco ainda, quase nada.

Minha tristeza é essa, ao abrir a boca foi de forma tão cheia, tão direta e doída.Foi um BURRA tão alto, tão grande, que me doeu muito.

Nunca pensei sentir algo assim. Doeu,e por ter sido na frente da minha família me ofendeu mais ainda.

Outras vezes me foi dito isso, mas de brincadeira e vindos da mesma pessoa, mas foi de brincadeira.Mas desta vez, foi real, um pensamento gritado, um berro que veio de dentro,é o que ele pensa de mim,na hora pensei isso, e se for isso, não é pra mim.
Não estou para ser ofendida a toa.

Vamos conversar e depois eu relato aqui.
Mas digo uma coisa as meninas, não aceitem ofensas, por mais que gostemos ou até possamos amar, não deixem que gritem ou xinguem vocês.

Essas pessoas que fazem isso não estão querendo ajudar, estão ofendendo, não medem as palavras e por isso fazem isso, e ignoramos sempre, pois desculpa alguma nos é direcionado.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Não quero saber de mais delongas.. é preto no branco ou não é?? afinal você é o chocolate e eu sou a leite..vamos fazer certo ou vamos fingir?? é pra ser companhia ou pra estar de vez em quando?? acho que somos uma farsa para nós dois.. não estamos mais nos aturando..


vai aqui um desabafo inconsciente... depois de algumas cervejas...depois de algumas dores repentinas..

não estou pronta para sofrer de novo, mas sinto a proximidade deste fardo/fato.



vou me emputecer por ter permitido.. vou me enfurecer por ter dito....

chega de tanto enrolo.. quero o desenrolo desse todo pra ser feliz.. comigo pra migo so comigo....

terça-feira, 17 de julho de 2012

Hoje estou com raiva de tudo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

terça-feira, 19 de junho de 2012

A gente sempre quer o valor, mas nunca as duas faces da moeda.


Estou eu em meio aos meus devaneios e angústias, meu egoismo, minha cegueira, minhas exigências pessoais.

Pensando muito nos que já foram e não tiveram oportunidade de alterar falhas interiores.

Penso no meu pai com fluência.. muito aconteceu na minha vida depois que ele se foi, ele que esteve sempre muito presente se foi, mas eu trago muito dele em mim.

Hoje voltando para casa eu pensei em muitas coisas, coisas que eu disse nunca fazer e eu fiz..porque eu fiz? perdi minha essência? ou simplesmente mudei meu ponto de vista?

Disse que nunca ia fazer tatuagem, nunca sofrer de amor, nunca magoar ninguém, nunca fazer o que eu não gosto, nunca falar palavrões...nunca expor minha intimidade pra alguém, nunca me entregar de cara, não ser ciumenta ou ser possessiva.Nunca quis mesmo, mas eu fiz, ninguém me disse o que não fazer e nem fazer... eu fiz.

Eu hoje ando revoltada, brigo com os outros, mas na verdade estou brigando comigo mesma, estou irritada com o tempo que passa e eu não faço nada com ele, ando sem conforto, mas o conforto que eu procuro este está dentro de mim, um conforto desconfortável...preciso encontrar a calma dentro de mim.

Esta acontecendo comigo o que eu um dia temia tanto.

Estou apaixonada, sou correspondida e mesmo assim não estou bem, estou triste, sinto medo o tempo todo, li Padre Fábio antes mesmo de começar a gostar de alguém e hoje me pego relendo não sabendo nada e ouvindo Bach e Beirut.

Como posso ser assim?
Egoísta.

Sofrer sem motivo ou razão.. essa inconstância que me perturba.. ao mesmo tempo que tudo está bom na verdade não está...eu vejo problemas aonde não tem, vejo erro onde não tem, vejo medo onde não é pra sentir.

Minha constante sensação é a de que qualquer coisa ou fato possa a vir me fazer perder esse sentimento bom que eu tenho.. quando não é palpável eu sinto medo.

Tantos traumas que eu carrego comigo, preciso me limpar deles.. me refazendo aos poucos em minha juventude que corre...

Padre Fábio disse em uma passagem muito certa:"O amor anda cada vez mais líquido, provisório, escorre nos vãos dos dedos, sempre que tentamos segurá-lo, porque temos medo do compromisso que dele nascerá. Ao mesmo tempo que dele necessitamos, nós o rechaçamos. Estranho, não é mesmo? queremos o valor da moeda, mas não as suas duas faces.Talvez seja por isso que o amor tem sido reduzido ao horizonte das paixões, e nisso consiste a gênese de tantos medos, sofrimentos e frustrações."

Quando se é esperado é ter certeza de que é amado também...quero ter essa certeza um dia, o que me perturba é não ter muita certeza do que é dito a mim.

O que eu faço para melhorar esse meu pensamento perturbado?? o que fazer para melhorar esse egoísmo??

Ele diz que gosta de mim, diz que eme ama.. quer ficar comigo e mesmo assim eu continuo tendo medo..

Medo de que o pensamento dele mude do anda..ele diz que não vai mudar e mesmo assim continuo com medo.. Droga de medo..


mas eu sou louca por ele..não quero ficar longe dele, não quero estar longe dele..

sinto falta dele sempre que ele está longe...minhas pernas tremem..minha barriga treme também..minhas mãozinhas ficam suadas..

Não consigo entender essa minha insegurança, primeira vez que sinto isso, primeira vez que sinto paixão, que sinto amor, que tenho alguém.. tudo na minha vida acontece assim de forma retrógrada, de traz para a frente...


Esse tormento mental eu sei que vai passar.
Ele me ajuda tanto com relação a isso.

"Eu acho que você vê sério demais! Se eu confio em você, se você confia em mim, podemos continuar fazendo as coisas de sempre mantendo em foco nós como casal, mas sem deixar amizades pra trás, e ainda saindo independentes. Como somos um casal e sabemos disso, não precisamos sair sempre juntos, provar visualmente pra todos que estamos juntos, nós dois sabemos disso."

Padre Fábio diz muito disso também, se um dia vier a dar errado será por erros meus e não dele.
POr egoísmo meu e não dele.
Desde nova eu sempre fui de sofrer por antecipação, desenvolvi em mim ansiosidade, essa doença que aflora todos os sentidos, faz com que eu imagine coisas para tentar aliviar o que ainda não chegou, essa loucura que eu trago em mim de tantas experiências mal vividas por outras pessoas.

Preciso parar com isso de querer puxar pra mim o que não me compete.

Aos poucos meu coração vai amansando me deixando calma e consciente de que as coisas vão acontecendo tranquilamente, essa cegueira da qual eu falo me deixa sem ver ou sem deixar acontecer, as vezes me adianto, essa atitude minha faz eu perder bons momentos.

Quero dizer que eu me adianto, faço o que minha mente cega de lógica me diz pra fazer e eu vou e faço.Depois vejo que me precipitei, que errei, que perdi, que sofri em vão por querer.


Toda essa angústia um dia vai passar, meus medos vão diminuir, minha insegurança também.

Vou estar bem, mais tranquila.


Quero ter ele ao meu lado ainda..depois de tudo isso..










quarta-feira, 30 de maio de 2012

Uma vírgula...

Esses dias descobri que sou uma vírgula.

Deitada de frente pra ele, olhando pros detalhes que o rosto dele traz ele olhando os meus.

Neste momento ele descobriu o que eu tenho, o que eu represento pra ele.
Do lado esquerdo dos meus lábios se forma uma vírgula, toda vez que eu dou um sorriso.

Ele disse:

_ Você é uma vírgula. Não é ponto final, não é exclamação, não é interrogação, não é travessão é vírgula.

Eu : _ por que?

Ele: _ Porque você é surpresa, é inconstância. Eu gosto.

Ele ficou mais um tempo colocando a ponta dos dedos em certas partes do meu corpo, me descobrindo, me gravando.

Um dia ele me falou que por eu brincar tanto, poderia não estar gostando de verdade, que o que eu falo pode ser so por falar.. brincar dizendo que se sente paixão não dá...me senti meio que sem ter o que falar, não poderia brincar novamente ne...tal motiva para dúvida.

Resolvi falar, fazer o que, que se dane, que seja pra sofrer, que seja pra doer, que seja pra ficar sozinha depois, caso um dia acabe.

Mas pra ser sincera, não vejo fim depois de amanhã, não me vejo fazendo coisas sem ele, me vejo com ele, me fazendo planos com ele. Vejo ele como último.

Não consigo pensar em idade, em que sou nova ele mais ainda, e que há muito o que viver, muitos dias pra passar...

Gosto das palavras dele, do cheiro dele, das mãos dele, da boca, da cabeça, da cor morena, gosto do conjunto dele, até quando é sério o papo, quando a boca fica rígida a falar eu vejo graça, vejo beleza, vejo ele mesmo.

Gosto de saber que ele pensa em mim, que é recíproco...que está acontecendo, que é livre... que é nosso.


" No meio de tantas brincadeiras eu acho que algumas são de verdade, mas eu prefiro acreditar no que você diz.
E você é muito linda, totalmente, porque eu te vejo por fora como és por dentro, e você só tem que ter orgulho de sua beleza. Você não está sozinha, não vim até aqui, não estou junto até agora pra dizer que vou sair, não perdi tempo com nada, isso tem um significado pra mim, eu estou aproveitando tanto quanto você, talvez até mais e você não sabe".

segunda-feira, 7 de maio de 2012

No interím...

Estava parada, tranquila na minha, sorrindo quando era o momento, chorando com filmes melosos e seus dramas. Trabalhando, aprendendo todo dia. Estudando quando tinha que estudar. Um belo dia meus olhos em primeira instância perceberam alguém, primeiro perceberam, segundo se apaixonaram por suas atitudes simplórias, depois minha mente computou que realmente era alguém que merecia ser notado. Começou sem querer, na verdade eu nem poderia ocupar um espaço tão grande na minha mente pensando nele, eu deveria estar pensando somente em estudar e passar nas minhas provas e somente, mas está cada vez mais latente, eu penso, eu vejo, eu beijo, eu quero mais, eu quero a mão dele, eu quero a fala detalhista dele, eu quero as piadas, as falas sem nexo. Quero ele perto de mim, não precisa falar, não precisa me tocar, não preciso de nenhuma convenção estipulada, eu só quero a presença, esta já me faz bem, porque sei que ele está ali. Encontrei companhia nos meus risos, nas minhas saídas, companhia pra ver TV,pra ouvir música, pra beber, pra sair, e aquela coisa mais linda do mundo aos meus olhos... dar as mãos. Ele tem um par de mãos tão lindas, macias, morenas, um contraste com as minhas tão brancas. Nosso contraste é o que eu queria ter pra mim. Na verdade permitir todo esse acesso nos meus pensamentos pra quem me conhece é um grande avanço, ando sempre me podando, sempre restringindo as pessoas, sempre proibindo esse acesso á mim, tudo tinha validade comigo, ele não tem, ele é inconstante, diferente, não há tédio quando estamos juntos. Esqueci de dizer também que quando estamos em dois é tão divertido, quando estamos em mais é como se fosse proibido, é segredo, é silêncio, talvez seja esse fator que nos propicie divertimento. Minha sensação, essa estranha sensação de que quando ele está dentro de mim, mais eu quero. Eu quero o aconchego dos braços dele, quero o cheiro do pescoço, quero só isso. E só pra confirmar aqui que não estou apaixonada (pra vc leitor), só interessada nisso tudo, uma "experiência" que quero que perdure mais que o normal. Quero poder ver que há ciume de preservação e não de posso ou algo do tipo, um ciúme aceitável, que indica que se importa, mas nada excessivo. Quero a companhia dele, ele me faz bem, me faz feliz, me faz rir. eu só tenho uma pergunta pra fazer depois de tudo isso: Fica comigo? PS:. Fica comigo? Só comigo, e vamos vendo no que isso vai dar...

domingo, 15 de abril de 2012

Se permitindo...

Ela estava de olho naquela pintinha que tem debaixo dos olhos,

seus cabelos macios, exalavam um cheiro muito gostoso de shampoo, o ventinho que vinha da janela fazia com que ela se sentisse fresca, limpa.

seus dentes limpos, a boca bem desenhada, vermelha.

estava com vontade de colocar um vestido e ficar solta, porque não sem calcinhas também? afinal viemos ao mundo nuas...

Ela queria ser feliz com ela, estar com ela, queria se sentir somente dela, as unhas feitas, depilada, estar em contato apenas com ela.

Esse amor que ela precisa sentir por ela, para que depois dela seja emitido ao mundo, que todos a sua volta sinta esse amor próprio dela, mas com humildade, sem egocentrismo, sem egoísmo, apenas amor.

Esquecer os tabus, usar o que lhe faz se sentir confortável nada de regras ou padrões, nada de mídia estabelecendo a magreza ou a roupa mais bonita, o corte de cabelo perfeito, ou a atitude adequada, que seja pra ser a gente, que seja pra fazer o que se tem vontade, que seja pra sentir fome, fome de mundo, fome de gente, fome de comida, de amor.

Ela queria deixar de ser aquele clichê pra ser ela, queria deixar de ser feinha, pra ser linda, queria deixar de ser lanche da madrugada, pra ser refeição de 3 vezes ao dia, queria deixar de ser um de vez em quando pra ser sempre,esse respeito que ela começou a sentir por si mesma impedia a aproximação de qualquer um que quisesse uma simples distração, se quiser que vá ao cinema, porque com ela isso não ia mais rolar.

Esse lugar que ela chama de templo, seu corpo, agora ela permitia a entrada depois que tirasse os chinelos, porque lá é terra santa...não entra qualquer um, a hora que quer..

Que venha o prazer que faça bem pra ela e não para o outro em primeiro lugar, que faça bem à ela, depois ela penso no outro, não é egoísmo, é apenas um fato certo.

No fim das contas ela só tem ela mesma para contar, quando tudo aperta, quando a vida acontece, ela so tem ela pra contar.

Que tenha um encontro com deus todos os dias, para que ele possa ser o pulsar de suas escolhas, de suas vontades pensadas e repensadas.. ter Ele como Aquele que te faz o melhor possível, e como diz uma amiga o que te da corda todos os dias para continuar a caminhada...